UN-Habitat discute acesso à energia nas cidades africanas

26 outubro 2009

Agência inaugura Rede Global de Energia e busca soluções para ampliar o serviço em comunidades pobres do continente; cerca de 2 mil milhões de pessoas, 1/3 da população mundial, não tem acesso básico à energia.

Pollyana de Moraes, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Os desafios da oferta de energia eléctrica em comunidades pobres da África foram discutidos nesta segunda-feira, em Nairóbi, no Quênia, durante um seminário promovido pelo Programa da ONU para Assentamentos Humanos, UN-Habitat.

O encontro, na sede da agência, também inaugurou a Rede Global de Energia, que reúne governos, ONGs e instituições privadas para apoiarem o acesso ao serviço em países da África, da América Latina e da Ásia.

Produção de Energia

No seminário, especialistas em assuntos energéticos e representantes de organizações parceiras pretendem trocar informações sobre práticas de incentivo à produção e à distribuição de energia nas cidades africanas.

Segundo a agência da ONU, ampliar a oferta energética de forma sustentável é essencial para o combate à pobreza e para o crescimento económico do continente.

O UN-Habitat afirma que cerca de 2 mil milhões de pessoas, 1/3 da população mundial, não tem acesso básico à energia. A maioria delas vive na África Subsaariana e no sudeste asiático.

O seminário termina na quarta-feira. Os desafios das cidades voltarão a ser discutidos pela agência durante o Fórum Urbano Global, que acontece em Março do próximo ano, no Rio de Janeiro.

*Apresentação: Carlos Araújo, da Rádio ONU, em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud