Crianças são as principais vítimas da crise na RC Africana (Português África)

22 outubro 2009

Segundo dados da ONU, o número de pessoas directa ou indirectamente afectadas pelo conflito ultrapassa 1 milhão, ou seja, ¼ da população total; a nação afircana tem também um dos piores indicadores de saúde infantil no mundo.

[caption id="attachment_169365" align="alignleft" width="175" caption="Foto: PMA"]

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As crianças na República Centro-Africana estão a pagar um preço muito elevado pelas dificuldades que o país atravessa.

A afirmação foi feita nesta terça-feira pela vice-directora executiva do Fundo da ONU para a Infância, Unicef, Hilde Johnson, que visitou o Estado africano na semana passada.

Instabilidade

Ela afirmou que os problemas que as crianças enfrentam hoje serão exacerbados pela tripla ameça da instabilidade, cortes orçamentais e redução na ajuda ao desenvolvimento.

A República Centro-Africana é um dos países mais pobres do mundo. Segundo dados da ONU, o número de pessoas directa ou indirectamente afectadas pelo conflito ultrapassa 1 milhão, ou seja, ¼ da população total.

A nação africana tem também um dos piores indicadores de saúde infantil no mundo. Uma em cada seis crianças morre antes de completar cinco anos de idade.

Além disso, apenas 38% de raparigas e 53% de rapazes frequentam a escola primária.

Crise Económica

Hilde indicou que a actual crise económica, agravada por um défict de 39% nos fundos de ajuda humanitária tem vindo a piorar a situação.

A vice-directora-geral do Unicef, que também visitou o Chade, destacou a necessidade de um maior apoio político e financeiro por parte dos parceiros internacionais para reforçar a proteção dos direitos das crianças da região.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud