Mauritânia conhece grave praga de gafanhotos

16 outubro 2009

Segundo a FAO, o aumento no número de gafanhotos naquele país africano resulta do fim da estação das chuvas nas áreas de reprodução, seguido de vários dias de ventos secos do leste.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A região ocidental da Mauritânia, na África Ocidental, está a ser palco de uma grave praga de gafanhotos do deserto.

O alerta foi lançado esta sexta-feira pela Organização da ONU para a Agricultura e Alimentação, FAO.

Áreas de Reprodução

Segundo a agência das Nações Unidas, o aumento no número de gafanhotos resulta do fim da estação das chuvas nas áreas de reprodução, seguido de vários dias de ventos secos do leste.

A combinação destes dois factores provocou a secagem rápida da vegetação no centro e sul do país, forçando os insectos a deslocarem-se para a parte oriental da Mauritânia.

A FAO indica que essa movimentação deverá continuar por mais uma ou duas semanas.

Vegetação

O órgão realça que actualmente a praga não ameaça outros países da região, com excepção do sul do Marrocos e o leste do deserto do Saara.

Um enxame de gafanhotos pode conter milhões de insectos e consumir milhares de toneladas de vegetação em um único dia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud