Deslocados abandonam campos em Goma

13 outubro 2009

Esvaziamento abrupto de acampamentos na província congolesa de Kivu Norte surpreende a ONU; organização lembra que mais de 1,1 milhão de civis continuam deslocados na região.

Carlos Araújo, da Rádio ONU, em Nova Iorque.

Cerca de 60 mil deslocados, ou seja, 90% das pessoas que viviam em campos oficiais em redor da cidade de Goma, na província de Kivu Norte, leste da República Democrática do Congo, regressaram a suas casas.

O Escritório da ONU de Assistência Humanitária, Ocha, indicou esta terça-feira que o esvaziamento abrupto dos acampamentos nestes últimos dias surpreendeu a comunidade humanitária na região.

Regresso Espontâneo

O órgão lembrou, contudo, que mais de 1,1 milhão de civis continuam deslocados na província e que eles irão precisar de assistência para regressarem às suas aldeias nos próximos meses.

Segundo dados do Ocha, cerca de 160 mil deslocados que viviam com famílias na província regressaram de forma espontânea a suas casas desde a assinatura dos acordos de paz, em Março deste ano.

A saída de um número tão elevado de civis de acampamentos representa a continuação de um processo que o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, vem apoiando nos últimos meses.

A agência indica que esse processo só será sustentável se o regresso dos deslocados aos seus locais de origem for voluntário, seguro e digno.

Exploração Sexual

Apesar de uma melhoria da situação de segurança na região, muitas zonas de Kivu Norte permanecem perigosas e centenas de milhares de civis enfrentam ameaças diárias.

A representante do Unicef no país, Pierrette Vu Thi, disse que as crianças são particularmente vulneráveis a separação de suas famílias enquanto mulheres e raparigas estão mais expostas a exploração e violência sexual durante a fase de regresso.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud