Pillay condena execução de jovem infrator no Irã
BR

13 outubro 2009

Alta comissária da ONU diz que governo iraniano é responsável por acabar de uma vez por todas com a prática no país.

Maria Cláudia Santos, da Rádio ONU em Nova York

A alta comissária da ONU para Direitos Humanos, Navi Pillay, criticou duramente nesta terça-feira a execução de um jovem condenado por homicídio no Irã.

Em um comunicado divulgado, em Genebra, Navi Pillay pediu que o governo iraniano acabe definitivamente com a execução de delinquentes juvenis no país.

Homicídio

Navi Pillay manifestou profunda consternação com o enforcamento de Behnoud Shojai, no último domingo.

O jovem de 17 anos foi condenado por matar um adolescente durante uma briga em um parque da capital Teerã.

Pilay disse que a execução de Shojai mostrou que não existe garantia de clemência para jovens infratores no Irã e que o país precisa parar com a prática de pena de morte para eles.

Ela destacou que é responsabilidade do Estado iraniano colocar fim às execuções de uma vez por todas.

Ativista

A alta comissária da ONU também expressou preocupação com relatos de que três pessoas foram condenadas à morte no Irã por envolvimento em manifestações depois das eleições presidenciais deste ano.

Pillay diz que causa muita preocupação a forma como foram realizados os recentes julgamentos de ativistas da oposição.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud