ONU reconhece fraude nas eleições no Afeganistão

12 outubro 2009

Kai Eide garante que a organização tem se empenhado ao máximo para que tudo seja esclarecido; ele nega parcialidade das Nações Unidas.

Maria Cláudia Santos, da Rádio ONU em Nova Iorque*.

O representante especial da ONU para o Afeganistão, Kai Eide, desmentiu neste domingo as acusações de seu ex-assistente de que a Missão da ONU no país, Unama, tenha favorecido a vitória do presidente Hamid Karzai.

Falando a jornalistas, em Cabul, Kai Eide disse que quem alega que a Unama deixou de apontar irregularidades nas eleições é irresponsável.

Processo Difícil

Kai Eide disse que não poupou esforços para fazer avançar o processo eleitoral. Ele afirmou que o processo foi muito díficil, marcado por vários problemas e, pelo que se sabe, por fraude generalizada.

Segundo ele, até agora, a extensão das fraudes ainda estava a ser determinada pelas autoridades locais e a ONU só poderia se manifestar depois de ter informações mais concretas.

Kai Eide disse, ainda, que é preciso ajudar o Afeganistão a ultrapassar esta situação e continuar a tentar instaurar a democracia no país.

A auditoria dos resultados da votação prossegue no Afeganistão sendo feita pela Comissão para Reclamações Eleitorais e a Comissão Eleitoral Independente. Todos os partidos políticos acompanham o processo.

*Apresentação: Carlos Araújo, Rádio ONU, Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud