ONU adota resolução sobre violência sexual (Português Brasil)

30 setembro 2009

Conselho de Segurança aprova resolução por unanimidade, o órgão solicitou ao Secretário-Geral a nomeação de representante especial para assumir uma liderança estratégica e coerente na luta contra violência sexual em regiões de conflitos.

[caption id="attachment_170519" align="alignleft" width="175" caption="Hillary Clinton"]

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York*.

O Conselho de Segurança da ONU pediu a todas as regiões em conflitos armados para tomarem medidas imediatas para proteger civis, incluindo mulheres e crianças, de todas as formas de violência sexual. O órgão apelou também a ações mais enérgicas por parte das Nações Unidas e dos Estados membros para combater o flagelo.

Em resolução adotada nesta quarta-feira por unanimidade, o Conselho solicitou ao Secretário-Geral a nomeação de um representante especial para assumir uma liderança estratégica e coerente na luta contra a violência sexual em situações de conflito.

Ataques Deliberados

A sessão do Conselho de Segurança foi presidida pela Secretária de Estado americana, Hillary Clinton, no último dia da presidência rotativa dos Estados Unidos.

Durante a reunião, Ban Ki-moon disse que apesar de alguns progressos, os civis continuam a ser alvo de ataques deliberados durante conflitos.

Ele afirmou que a comunidade internacional deve fazer mais para evitar a violência, proteger indivíduos, punir os agressores e compensar as vítimas.

Em relatório sobre o tema divulgado em julho, Ban apelou aos Estados para reforçarem medidas de prevenção e proteção contra o uso sistemático da violência sexual como uma arma de guerra.

Sinal Inequívoco

O Secretário-Geral realçou que o texto aprovado nesta quarta-feira envia um sinal inequívoco e reforça a resolução 1820 do ano passado, que reconhecia pela primeira vez a ligação entre violência sexual e paz e segurança sustentáveis.

A nova resolução do Conselho pede aos países para tomarem uma série de medidas, incluindo o julgamento dos responsáveis pela violência sexual e o acesso de sobreviventes ao sistema judicial.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud