ONU pede fim da crise nos acampamentos do Sri Lanka
BR

30 setembro 2009

Cerca de 250 mil pessoas continuam vivendo em campos de deslocados, após terem fugido de uma ofensiva militar do governo contra os rebeldes Tigres de Libertação do Tâmil Eelam.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York.*

O representante especial de Ban Ki-moon para os Direitos Humanos das

Pessoas Deslocadas, Walter Kaelin, expressou grave preocupação pela situação nos acampamentos no norte do Sri Lanka.

Cerca de 250 mil pessoas continuam vivendo em campos de deslocados após terem fugido de uma ofensiva militar do governo contra os rebeldes Tigres de Libertação do Tâmil Eelam.

Máxima Urgência

Kaelin pediu na terça-feira às autoridades para acelerarem a sua libertação, afirmando que o assunto é de máxima urgência.

Os deslocados estão confinados nos acampamentos desde maio, quando o governo cingalês declarou o fim da guerra contra os rebeldes, terminando duas décadas de conflito.

O Secretário-Geral, Ban Ki-moon, apoiou o apelo do seu representante, afirmando que o governo do Sri Lanka reafirmou o seu compromisso de permitir o regresso dos deslocados às suas casas até janeiro do próximo ano.

Walter Kaelin terminou este fim de semana uma visita de três dias ao país asiático. Ele disse que continuava preocupado com o ritmo lento da saída dos deslocados dos acampamentos.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud