Portugal defende língua portuguesa em discurso na ONU

29 setembro 2009

O Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal, João Cravinho, disse que é cada vez mais premente e justo que a língua portuguesa se torne numa língua oficial ou língua de trabalho em organizações internacionais.

[caption id="attachment_170439" align="alignleft" width="175" caption="João Cravinho"]

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal, João Cravinho, saudou a realização das eleições na Guiné-Bissau e a comemoração do 10º aniversário do referendo em Timor-Leste.

Num discurso à Assembleia Geral da ONU, na noite de segunda-feira, ele disse que os dois eventos demonstram a crescente actividade da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, Cplp, na promoção da paz, democracia, direitos humanos, estabilidade política e desenvolvimento económico e social.

Língua Oficial

"Esta organização a que Portugal actualmente preside tem como um dos seus pilares fundamentais a promoção da língua portuguesa, um dos cinco idiomas mais falados no mundo e veículo de comunicação de mais de 250 milhões de pessoas, ligando Estados e povos e quatro continentes e por todos os cantos do mundo. É assim cada vez mais premente e justo que a língua portuguesa se torne numa língua oficial ou língua de trabalho em organizações internacionais" afirmou.

Ordem Constitucional

João Cravinho pediu também o restabelecimento da ordem constitucional e da inviolabilidade da embaixada brasileira nas Honduras.

Ele defendeu ainda uma reforma do Conselho de Segurança, com assentos permanentes para o Brasil, Índia e um representante africano.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud