Ban condena mortes na Guiné Conacri
BR

29 setembro 2009

Ban Ki-moon disse estar chocado pelas perdas de vidas e pelo elevado número de feridos; segundo agências de notícias, mais de 100 pessoas morreram quando as forças de segurança guineenses dispararam contra uma manifestação da oposição.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York*.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, deplorou o que descreveu de uso excessivo da força na Guiné Conacri, que resultou na morte de dezenas de manifestantes da oposição, nessa segunda-feira.

Segundo agências de notícias, mais de 100 pessoas morreram quando as forças de segurança guineenses dispararam contra uma manifestação da oposição.

Máxima Moderação

Em comunicado divulgado em Nova York pela sua porta-voz, Ban disse estar chocado pelas mortes, pelo elevado número de feridos e pela destruição de propriedades. Ele enviou também os seus pêsames às famílias das vítimas.

O Secretário-Geral pediu às autoridades daquele país da África Ocidental para exercerem a máxima moderação e respeitarem o Estado de direito, incluindo os direitos humanos fundamentais.

Ban Ki-moon apelou ainda a todas as partes para se engajarem em um processo de transição pacífico, por meio da realização antecipada de eleições transparentes.

Golpe de Estado

Ele pediu ao Conselho Nacional para a Democracia e Desenvolvimento, Cndd, para respeitar o seu compromisso anterior de não participar das eleições.

O Conselho assumiu o poder após o golpe de estado que se seguiu à morte do presidente Lansana Conté em dezembro do ano passado.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud