Crise continua a agravar-se no norte do Iémen, diz ONU (Português África)

1 setembro 2009

Porta-voz do Acnur disse que órgão necessita de US$ 5 milhões para responder às necessidades de emergência no norte do país; confrontos opõem rebeldes xiitas ao governo de maioria sunita.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Alto Comissariado para Refugiados, Acnur, disse que a crise humanitária no norte do Iémen agrava-se a cada dia.

O porta-voz do órgão, Andrej Mahecic, disse esta terça-feira a jornalistas em Genebra, na Suiça, que as Nações Unidas estão profundamente preocupadas com a situação da população civil encurralada na cidade de Saada, devido a confrontos entre tropas do governo e rebeldes Al Houthi.

Corredores Humanitários

Ele indicou que cerca de 35 mil pessoas foram deslocadas pelos recentes combates na cidade e seus arredores, elevando para mais de 150 mil o número de desabrigados desde o início do conflito, em 2004.

As pessoas que conseguiram fugir de Saada disseram ao pessoal do Acnur que os confrontos concentram-se na parte velha da cidade. Também relataram frequentes ataques aéreos na região.

Mahecic afirmou que a agência da ONU necessita de US$ 5 milhões para responder às necessidades de emergência no norte do Iémen.

O Programa Alimentar Mundial, PAM, voltou a repetir esta terça-feira o seu apelo para a abertura de corredores humanitários seguros para permitir a chegada da ajuda às pessoas mais afectadas.

O órgão indicou necessitar de US$ 6,6 milhões para financiar as suas operações no norte do Iémen até o fim do ano.

Trégua

Segundo agências de notícias, o conflito opõe rebeldes xiitas ao governo de maioria sunita.

Os dois lados tinham assinado uma trégua em 2008, após cerca de quatro anos de combates que deixaram milhares de mortos no país, localizado na extremidade sudoeste da Península da Arábia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud