ONU pede libertação de funcionários raptados em Darfur (Português África)

31 agosto 2009

Os dois funcionários da Unamid foram sequestrados no sábado na localidade de Zalingei, em Darfur Ocidental, por homens armados e não identificados; ONU pediu aos sequestradores para garantirem sua integridade física.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O representante especial das Nações Unidas e da União Africana em Darfur, Rodolphe Adada, pediu a libertação imediata e incondicional de dois funcionários civis estrangeiros que foram raptados no sábado.

Os dois civis, um homem e uma mulher, trabalham para a missão conjunta de manutenção de paz da ONU e da UA naquela província sudanesa, Unamid.

Integridade Física

Adada apelou também aos sequestradores para garantirem a integridade física dos funcionários.

Eles foram sequestrados por quatro ou cinco homens armados e não identificados quando se encontravam na sua residência em Zalingei, Darfur Ocidental.

Segundo uma nota da missão, eles foram levados para um local desconhecido.

A Unamid disse ter informado as autoridades sudanesas relevantes, que garantiram à missão a tomada de todas as medidas necessárias para resolver a situação. A ONU recordou que a segurança dos seus funcionários é responsabilidade do governo do Sudão.

Processo de Paz

A missão conjunta das Nações Unidas e da União Africana disse que continuará a monitorar o incidente de perto, reiterando que se encontra em Darfur para ajudar na restauração da paz e estabilidade na região.

A Unamid relaçou ainda que o sequestro de funcionários da ONU poderá ter consequências negativas para o processo de paz no território.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud