Acnur chocado com situação em centro de detenção grego
BR

28 agosto 2009

Equipe do Alto Comissariado para Refugiados visitou o complexo construído para receber 300 pessoas, mas que conta atualmente com 850 migrantes, incluindo 200 crianças desacompanhadas, a maior parte afegãs.

Marco Alfaro, da Rádio ONU em Nova York*.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, disse, nesta sexta-feira, estar chocado com as precárias condições de higiene e superlotação do centro de detenção de Pagani, na Grécia.

Uma equipe do Acnur visitou o complexo, que foi contruído para receber um máximo de 300 pessoas, mas que conta atualmente com 850 migrantes irregulares, incluindo 200 crianças desacompanhadas, a maior parte afegãs.

Mulheres e Bebês

Segundo o porta-voz do Acnur, Andrej Mahecic, um salão de Pagani abriga mais de 150 mulheres e 50 bebês, muitos deles sofrendo de doenças causadas por falta de higiene.

Mahecic disse que a situação em Pagani é resultado dos problemas relacionados à migração irregular e ao sistema de asilo de migrantes na Grécia.

Ele lembrou que, somente em 2008, cerca de 2,7 mil crianças desacompanhadas entraram no país de maneira irregular.

Transferência

O vice-ministro da saúde grego, Dimitris Avramopoulos, assegurou ao Acnur que as crianças desacompanhadas serão transferidas para centros especiais de recepção até o final deste mês.

O Acnur está desenvolvendo um projeto, em parceria com o governo da Grécia, para melhorar as acomodações em quatro centros de recepção, montados nas ilhas de Samos, Chios, Lesvos e na região de Evros.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud