Unesco condena assassinato de jornalista no Paquistão
BR

27 agosto 2009

Agência da ONU fez um apelo para que as autoridades paquistanesas garantam a segurança dos jornalistas e profissionais de imprensa naquele país; 11 jornalistas foram mortos no Paquistão desde 2007, incluindo seis no noroeste do país.

Marco Alfaro, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, condenou, nesta quinta-feira, o assassinato do correspondente de TV, Sadiq Bacha Khan, ocorrido no Paquistão, no dia 14 de agosto.

A agência da ONU também fez um apelo para que as autoridades paquistanesas garantam a segurança dos jornalistas e profissionais de imprensa naquele país.

Duro Golpe

O diretor-geral da Unesco, Koïchiro Matsuura prestou tributo a coragem e determinação do jornalista morto e considerou o assassinato de Bacha Khan um duro golpe a liberdade de expressão e de imprensa.

Segundo Matsuura, Bacha Khan dedicou sua vida a ajudar a população da região, que tem sofrido repetidos deslocamentos.

Nos últimos meses, pelo menos 2,4 milhões de pessoas fugiram da área após confrontos entre tropas do Exército paquistanês e militantes do movimento islâmico Talebã.

Alarmante

Matsuura apelou às autoridades paquistanesas para colocarem um fim nos assassinatos de jornalistas, algo que está se tornando alarmante principalmente na província da Fronteira Noroeste do país.

Segundo o Instituto Internacional de Imprensa, 11 jornalistas foram mortos no Paquistão desde 2007, incluindo seis naquela região, situada próxima à fronteira com o Afeganistão.

Siga a Rádio ONU no twitter

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud