300 mil crianças não vão à escola na Serra Leoa

27 agosto 2009

Relatório apoiado pela Unicef indica que muitas crianças não vão à escola para ajudarem as famílias em actividades geradoras de rendimento; 2/3 da população do país vive com menos de US$ 1 por dia.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Cerca de 300 mil crianças não frequentam a escola na Serra Leoa devido a uma combinação de factores que incluem a pobreza, gravidez precoce e a necessidade de menores contribuirem para o sustento de suas famílias.

A afirmação consta de um relatório publicado na semana passada pelo ministério da Educação do país em colaboração com o Fundo da ONU para a Infância, Unicef.

Linha da Pobreza

Segundo o estudo, em muitas famílias pobres, as crianças não vão à escola para poderem trabalhar e ajudar os pais a reforçar o orçamento familiar. 87% das crianças entrevistadas na pesquisa estão envolvidas em actividades geradoras de rendimento.

A Serra Leoa continua a ocupar a última posição no Index de Desenvolvimento Humano da ONU. Cerca de 2/3 da população vive abaixo da linha da pobreza, com menos de US$ 1 por dia.

O relatório indica que a maior parte das crianças que não vão às escolas é deficiente, órfã ou vive longe dos seus pais biológicos.

Gravidez Precoce

Nas regiões rurais, a localização das escolas a longas distâncias das aldeias, também desencoraja a frequência académica.

A gravidez precoce é outro factor que mantem menores fora das escolas. O aumento do número de raparigas grávidas, tanto nas zonas rurais como nas cidades, leva muitas vezes os pais a retirarem as filhas da escola.

Siga a Rádio ONU no twitter

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud