Crise Humanitária na Somália

26 agosto 2009

Relatório da FAO indica que desde Janeiro 3,7 milhões de somalis tornaram-se dependentes de assistência humanitária; uma em cada cinco crianças no país sofre de malnutrição aguda.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Somália enfrenta a sua pior crise humanitária dos últimos 18 anos, com o agravamento da guerra civil e a deterioração da situação de segurança alimentar.

A afirmação consta de um relatório publicado na terça-feira pela Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO.

Malnutrição Aguda

O documento indica que desde Janeiro mais de metade da população do país, cerca de 3,7 milhões de pessoas, tornaram-se dependentes da ajuda humanitária, devido à gravidade da crise na nação do Corno de África.

A maior parte dos vulneráveis está concentrada nas regiões do centro e sul da Somália.

Um dos autores do relatório, Cindy Holleman, alertou que a escalada dos confrontos complica o acesso humanitário às populações mais afectadas.

O documento da FAO acrescenta que os níveis nutricionais de emergência agravaram-se em várias áreas do país, desde o início do ano. Uma em cada cinco crianças sofre actualmente de malnutrição aguda.

Ramadão

O representante de Ban Ki-moon na Somália, Ahmedou Ould-Abdallah, pediu esta terça-feira aos somalis para trabalharem para a paz e estabilidade no país.

Numa mensagem por ocasião do início do mês do Ramadão, ele disse que o diálogo é uma melhor alternativa do que somalis a matarem-se uns aos outros.

Siga a Rádio ONU no twitter

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud