Tragédia no Mediterrâneo abala Acnur
BR

21 agosto 2009

Alto Comissariado para Refugiados informou que, segundo os sobreviventes, 75 pessoas morreram em alto mar quando o pequeno barco em que viajavam, da Líbia para a Itália, ficou sem combustível, comida e água.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York*

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, afirmou nesta sexta-feira estar chocado com relatos de cinco cidadãos da Eritréia que dizem ser os únicos sobreviventes de um barco que deixou a Líbia há cerca de 20 dias.

Segundo o porta-voz da agência da ONU, Andrej Maheci, os sobreviventes informaram que cerca de 80 passageiros, a maior parte de nacionalidade eritréia, embarcaram em um pequeno navio em Tripoli com destino à Itália.

Comida e Água

Após três dias em alto mar, o barco ficou sem combustível. Alguns dias depois, a comida e a água também acabaram.

De acordo com relatos dos sobreviventes, o navio ficou à deriva e os passageiros começaram a morrer. Os seus corpos foram atirados ao mar.

Segundo o Acnur, os cinco sobreviventes foram socorridos pela guarda costeira italiana e levados para a ilha de Lampedusa, onde receberam tratamento médico.

Migrantes Africanos

Em março deste ano, cerca de 300 migrantes africanos morreram afogados quando tentavam chegar à Itália em embarcações superlotadas.

Segundo dados do Acnur, 36 mil africanos chegaram no ano passado à Itália em embarcações provenientes do Norte da África.

*Apresentação: Marco Alfaro, da Rádio ONU em Nova York.

Siga a Rádio ONU no twitter

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud