Confronto étnico causa morte de 161 no sul do Sudão (Português Brasil)

3 agosto 2009

Entre as vítimas do ataque que aconteceu no domingo em Akobo estão 100 mulheres e crianças; agências de notícias informam que as mortes ocorreram durante confrontos entre grupos étnicos rivais.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York.*

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou a morte de 161 pessoas no ataque ocorrido no último domingo em Akobo, no Estado de Jonglei, no Sul do Sudão.

A maioria das vítimas era composta por mulheres e crianças. Onze soldados do exército da região e 50 homens também estão entre os mortos.

Grupos rivais

Em comunicado divulgado nesta segunda-feira pela sua porta-voz em Nova York, Ban pediu à missão das Nações Unidas no país, Unmis, para prestar assistência aos afetados pelo que descreveu de "ação odiosa".

Segundo agências de notícias, as mortes ocorreram durante confrontos sangrentos entre os grupos étnicos rivais Murele e Lo Nuer.

O Secretário-Geral expressou os seus pêsames ao governo do Sul do Sudão e às famílias em luto. Ele pediu às autoridades para que julguem e condenem os responsáveis pelo ataque, e ainda apelou para o reforço de medidas para proteger civis na região.

Vítimas

Dados da ONU indicam que mais de mil pessoas morreram e outras milhares ficaram desabrigadas nos últimos meses devido aos confrontos étnicos no Sul do Sudão.

A Unmis revelou que o número de civis que foram vítimas da violência na região é mais alto que em Darfur.

*Apresentação: Eduardo Costa, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud