Presidente vai convidar Kumba Ialá para Conselho de Estado

31 julho 2009

Numa entrevista à Rádio ONU, Malam Bacai Sanhá manifestou vontade em continuar a colaborar com o candidato derrotado nas eleições presidenciais na Guiné-Bissau; ele prometeu ainda lutar contra o tráfico de drogas e previlegiar as relações com as Nações Unidas.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O presidente eleito da Guiné-Bissau, Malam Bacai Sanhá, disse à Ràdio ONU que sempre acreditou que um dia seria chefe de Estado do país, apesar das suas derrotas em 2000 e 2005.

Numa entrevista desde Bissau, ele afirmou que irá priorizar a criação de um clima de paz e estabilidade e o combate ao crime organizado.

Eleições Antecipadas

Malam Bacai Sanhá obteve mais de 63% dos votos na segunda volta das eleições presidenciais antecipadas realizadas no domingo, contra 37% para o seu adversário, Kumba Ialá.

O escrutínio foi organizado após a morte do anterior presidente, João Bernardo Nino Vieira, em Março último.

Malam Bacai Sanhá disse que o encontro que realizou esta sexta-feira em Bissau com o primeiro ministro, Carlos Gomes Júnior e Kumba Ialá é um excelente presságio para o futuro do país.

Recursos e Capacidades

"Vou convidar o senhor Kumba Ialá a fazer parte do Conselho de Estado. Será um primeiro passo para lhe criar um espaço que lhe permitirá dar conselhos e opiniões sobre as grandes questões do país. Também farei consultas periódicas com o Kumba Ialá sempre que necessário. Vamos ter de trabalhar juntos".

O novo presidente da Guiné-Bissau disse ainda à Rádio ONU que vai previlegiar as relações com o sistema das Nações Unidas.

"Nós somos frutos das Nações Unidas. A nossa existência até aqui deve-se em grande parte ao esforço do nosso povo, aos esforços dos políticos guineenses, mas também ao trabalho da ONU. Somos obrigados a trabalhar em estreita colaboração com as Nações Unidas. Não temos recursos e capacidades para resolver isoladamente os grandes problemas que temos no país, como a segurança e desenvolvimento."

Crime Organizado

Malam Bacai Sanhá prometeu também uma luta sem quartel ao tráfico de drogas e outras formas de crime organizado na Guiné-Bissau.

"Na verdade a Guiné-Bissau não é um país consumidor de droga. É um país de trânsito. Vamos fazer tudo para tentar impedir esse trânsito. A Guiné-Bissau tem de ser um país de trânsito de coisas boas. Não trânsito de coisas más".

Malam Bacai Sanhá tomará posse a 8 de Setembro. Ele foi presidente interino do país, entre 1999 e 2000, logo após o fim do conflito civil que derrubou Nino Vieira.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud