Falta de fundos afecta serviço aéreo do PAM em África

31 julho 2009

Agência da ONU diz que poderá vir a cortar ou mesmo encerrar suas operações de transporte aéreo no continente se não receber financiamentos de doadores; serviço transporta trabalhadores humanitários para situações de emergência.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Serviço Aéreo Humanitário da ONU corre o risco de cancelar voos para muitas regiões africanas nos próximos meses devido a uma escassez de fundos.

O alerta foi lançado esta sexta-feira pelo Programa Alimentar Mundial, PAM, que gere e opera o serviço.

Desastres Naturais

Os aviões do serviço aéreo transportam trabalhadores humanitários para situações de emergência onde assistem populações afectadas por conflitos ou desastres naturais.

A agência das Nações Unidas indicou que os fundos da operação no Chade esgotam-se a 15 de Agosto. O serviço para a Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conakri poderá também terminar no final do próximo mês por falta de financiamentos.

No Chade, uma média de 4 mil passageiros humanitários por mês voam em seis aviões do serviço para 10 destinos. Eles fornecem assistência a 250 mil refugiados de Darfur e 180 mil deslocados internos no leste do país.

Segundo o PAM, US$ 6,7 milhões ajudariam a ONU a prolongar o serviço aéreo no Chade até Dezembro. A agência vai ter de começar a reduzir o número de voos a 15 de Agosto se até lá não receber mais fundos. O encerramento da operação não está excluído.

Orçamento

Em Fevereiro deste ano, o Serviço Aéreo Humanitário da ONU viu-se forçado a terminar as suas operações na Côte d'Ivoire por falta de dinheiro.

Os voos humanitários do PAM servem o Chade, Sudão, República Centro-Africana, Etiópia, África Ocidental e Afeganistão. Apenas 25% do seu orçamento de US$ 160 milhões para 2009 já foi financiado.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud