Comissão chega ao local do assassinato de Bhutto
BR

17 julho 2009

Em primeira visita ao Paquistão, grupo se reuniu com policiais e membros da família da ex-primeira-ministra; chefe da comissão disse estar confiante no apoio do país ao inquérito.

[caption id="attachment_167062" align="alignleft" width="175" caption="Benazir Bhutto"]

Carla Fernandes, da Rádio ONU em Nova York.*

A comissão de inquérito da ONU que está investigando o assassinato da ex-primeira-ministra do Paquistão, Benazir Bhutto, visitou a cena do crime na cidade de Rawalpindi.

Bhutto foi morta em 27 de dezembro de 2007 quando saía de um comício político.

Responsabilidade Penal

O presidente da missão, embaixador Heraldo Muñoz, disse nesta sexta-feira na capital paquistanesa, Islamabab, que a visita foi importante para compreender melhor as circunstâncias do assassinato.

A comissão manteve encontros com oficiais da polícia e membros da família da ex-primeira-ministra.

Muñoz descreveu as conversações com o viúvo de Bhutto e atual presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, como produtivas.

Prioridade

O chefe da missão lembrou que a ONU só vai apurar os fatos e as circunstâncias do assassinato. Mas a função de determinar a responsabilidade penal será do governo.

O embaixador do Chile afirmou ainda que está confiante no apoio do governo paquistanês à investigação, indicando que o Secretário-Geral, Ban Ki-moon, considera todo o processo como uma prioridade para o órgão.

Esta é a primeira visita da comissão desde que iniciou seus trabalhos em sua 1° de julho.

Um relatório final será apresentado ao Secretário-Geral das Nações Unidas dentro de seis meses e levado ao Conselho de Segurança.

*Apresentação: Eduardo Costa, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud