Ex-presidente da Libéria diz que é alvo de mentiras
BR

14 julho 2009

Testemunha da defesa em seu próprio julgamento, Charles Taylor afirmou em Haia que seu único envolvimento com Serra Leoa foi a favor da paz; ele é acusado de crimes de guerra e contra a humanidade durante guerra civil no país vizinho.

[caption id="attachment_166826" align="alignleft" width="175" caption="Charles Taylor "]

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York.*

O ex-presidente da Libéria, Charles Taylor, afirmou que todas as acusações que está enfrentando no Tribunal Especial para a Serra Leoa em Haia são "baseadas em mentiras, rumores e desinformação."

Taylor fez a declaração nesta terça-feira ao ser convocado como testemunha da defesa em seu próprio julgamento.

14 Filhos e Netos

O ex-presidente da Libéria afirmou que tem 14 filhos e netos e que foi um homem que sempre lutou por justiça e paz. Segundo Taylor, ele não é, nunca foi e nunca será responsável pelas atrocidades atribuídas a ele.

Charles Taylor é acusado de crimes de guerra e contra a humanidade após alegações de que ele teria apoiado movimentos rebeldes na Serra Leoa, oeste da África.

Entre as 11 acusações estão terrorismo, tortura, recrutamento de crianças-soldado e estupros.

A guerra civil na Serra Leoa durou uma década e matou dezenas de milhares de pessoas entre 1991 a 2002.

Envolvimento

O ex-chefe de Estado da Libéria disse que não participou de nenhum dos crimes e que seu único envolvimento com a Serra Leoa foi para levar a paz ao país vizinho.

Segundo agências de notícias, o ex-presidente é a primeira das 249 testemunhas que a defesa irá interrogar nas próximas semanas.

Charles Taylor governou a Libéria de 1997 a 2003 e foi extraditado para Haia, em 2006.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud