Cristãos do Iraque precisam de mais proteção
BR

14 julho 2009

Enviado especial ao país disse, nesta segunda-feira, que é preciso redobrar esforços para resguardar a população cristã do país além de outras minorias.

[caption id="attachment_166818" align="alignleft" width="175" caption="Cristãos perseguidos"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O novo enviado das Nações Unidas ao Iraque, Ad Melkert, afirmou que os cristãos do país precisam de mais proteção.

A declaração foi feita após uma série de ataques a bomba contra igrejas e outros alvos cristãos durante o fim de semana.

Crianças

Os atentados ocorreram nas cidades de Mosul e Bagdá. Quatro pessoas morreram e pelo menos 20 ficaram feridas incluindo crianças.

Melkert pediu que sejam redobrados os esforços para proteger os cristãos e outras minorias no Iraque.

O enviado da ONU afirmou que a campanha de ataques é uma tentativa de aterrorizar pessoas frágeis e de impedir a coexistência pacífica de diferentes grupos religiosos.

Um aumento no número de ameças, intimidações e ataques forçou mais de 12 mil cristãos a fugir de Mosul, a segunda maior cidade do Iraque. Alguns deles retornaram após melhorias nas condições de segurança da região.

Segundo agências de notícias, o Iraque tem cerca de 750 mil cristãos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud