ONU vai combater crime na África Ocidental (Português África)

9 julho 2009

Uma nova iniciativa envolvendo vários departamentos das Nações Unidas, a Interpol e a Cedeao visa reforçar a governação e lutar contra a corrupção em países da área; Guiné-Bissau será um dos Estados abrangidos pelo programa.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas lançaram na quarta-feira um novo programa para combater o crime organizado e o tráfico de drogas na África Ocidental.

A Iniciativa para a Costa Oeste-Africana é uma parceria que envolve vários órgãos da ONU, incluindo o Escritório contra Drogas e Crime, Unodc, a missão para a África Ocidental, Unowa, o Departamento para Operações de Paz, Dpko e o Departamento para Assuntos Políticos, DPA. A Comunidade de Estados da região, Cedeao e a Interpol estão também associadas ao projecto.

Impunidade

A iniciativa visa reforçar as fronteiras, fortalecer os governos e combater a corrupção que têm permitido os traficantes operarem num clima de impunidade na região.

Um comunicado divulgado pelo Unodc na terça-feira indica que o crime organizado, incluindo o tráfico de seres humanos, medicamentos falsificados e drogas, está a afectar o desenvolvimento daquela sub-região africana.

O documento afirma que em alguns casos o valor dos bens traficados excede o Produto Interno Bruto, PIB, de várias nações da África Ocidental.

O director-executivo do Unodc, António Maria Costa, disse que a iniciativa vai privilegiar países que acabam de sair de situações de conflito, como a Guiné-Bissau, Libéria, Côte d'Ivoire e Serra Leoa.

Ele acrescentou que a Guiné-Conakri poderá juntar-se ao programa se realizar eleições democráticas nos próximos meses.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud