Deslocados em Mogadíscio ultrapassam 200 mil (Português África)

7 julho 2009

Segundo o Acnur, o aumento da violência na capital somali está a ter um impacto devastador na sua população que tem abandonado a cidade em massa; confrontos entre forças do governo e grupos islâmicos já duram há mais de oito semanas.

Carla Fernandes, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, disse esta terça-feira que o número de deslocados pelos confrontos em Mogadíscio, na Somália, atingiu os 204 mil.

As pessoas fogem de confrontos entre forças do governo e combatentes das milícias Al-Shabab e Hisb-ul-Islam que duram há oito semanas. Segundo a agência da ONU trata-se do maior exôdo da capital somali desde a intervenção da Etiópia em 2007.

Zonas Seguras

De acordo com fontes locais citadas pelo Acnur, só os confrontos da semana passada resultaram em 105 mortos e 382 feridos.

Residentes de áreas a norte da cidade, consideradas zonas seguras, viram-se obrigados a deixar as suas casas pela primeira vez desde o início da guerra civil na Somália em 1991.

Os deslocados têm-se dirigido para o corredor de Afgooye, a 30 quilómetros de Mogadíscio. A região já alberga mais de 400 mil vítimas de conflitos anteriores. No entanto, a maioria tem-se arriscado para regiões mais distantes como Galgaduud, Bay e Juba.

Dadaab

Apesar de a fronteira do Quénia estar oficialmente fechada e das autoridades quenianas não permitirem a entrada de refugiados no país, o número de pessoas a chegar aos campos de refugiados do Acnur situados próximos à fronteira a norte do país continua a subir.

O campo de refugiados de Dadaab abriga actualmente mais de 284 mil pessoas. Segundo a agência das Nações Unidas, o número real de novos deslocados é mais elevado uma vez que muitas pessoas se dirigem directamente para centros urbanos como Nairobi, Mombasa e Garissa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud