Drogas injetáveis aumentam casos de HIV/Aids

30 junho 2009

Documento da ONU diz que Brasil, China, Rússia e Estados Unidos têm o maior número de consumidores desses narcóticos, representando 45% do total mundial.

Marco Alfaro, da Rádio ONU em Nova Iorque*.

O uso de drogas injectáveis está a transformar-se em um dos principais factores para o aumento de casos de HIV/Aids no mundo, segundo o Relatório Mundial de Drogas 2009 do Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime, Unodc.

O documento aponta que o Brasil, China, Rússia e Estados Unidos tem o maior número de consumidores de drogas injectáveis, representando 45% do total mundial.

Transmissão Sexual

O Director do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids no Brasil, Onusida, Pedro Chequer, disse à Rádio ONU, de Brasília, que a epidemia entre consumidores de drogas no país vem caindo ao longo dos anos.

"Houve um momento nos anos 90 em que 25% dos novos casos era entre os consumidores de drogas. Pouco a pouco vem caindo. Ela está relativamente estabilizada e, eu diria, é uma situação provisória. Porque houve a migração para o uso de drogas não injectáveis. E o uso de drogas não injectáveis pode ter a transmissão sexual quando não há o uso de preservativos. É um grupo da população que merece a preocupação permanente da sociedade", afirmou.

Infecções

De acordo com o relatório do Unodc, lançado no último dia 24, o vírus do HIV foi constatado entre consumidores de drogas injectáveis de 120 países. O levantamento aponta ainda que o número de infecções por esse meio vem crescendo drasticamente.

As regiões com maior número de casos de HIV através de injecção de drogas são o leste da Europa, sul e sudeste asiático e América Latina.

*Apresentação: Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud