Missão vai apurar assassinato de Bhutto em julho (Português Brasil)

19 junho 2009

Anúncio foi feito pela ONU nesta sexta-feira; mandato não determinará responsabilidade criminal dos autores do homicídio da ex-premiê do Paquistão.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas informaram que a comissão de inquérito que investigará o assassinato da ex-primeira-ministra do Paquistão, Benazir Bhutto, começará seu trabalho no próximo dia 1º de julho.

O anúncio foi feito pela porta-voz do Secretário-Geral da ONU, Michele Montas.

Carta

Segundo a porta-voz, Ban Ki-moon informou ao governo do Paquistão, numa carta ao presidente do país e viúvo de Bhutto, Asif Ali Zardari, que o trabalho da missão começará no próximo mês com um mandato até dezembro deste ano.

O grupo será presidido pelo embaixador do Chile na ONU, Heraldo Muñoz, e terá mais dois membros um da Indonésia e outro da Irlanda.

Benazir Bhutto foi assassinada em 27 de dezembro de 2007.

Carro

Ela havia acabado de participar de um comício político e estava saudando simpatizantes num carro quando foi alvejada.

Na nota emitida nesta sexta-feira, a porta-voz de Ban lembrou que a ONU vai apurar os fatos e circunstâncias do assassinato da ex-premiê do Paquistão. Mas a função de determinar a responsabilidade penal será do governo do país.

Relatório

As conclusões do relatório serão entregues ao Secretário-Geral após a missão e levadas em seguida ao Conselho de Segurança para informação.

Se estivesse viva, Benazir Bhutto completaria neste domingo 56 anos.

Ela ocupou o cargo de primeira-ministra do Paquistão por duas vezes. Seu último mandato terminou em 1996.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud