Clinton elogia trabalho da Missão da ONU no Haiti
BR

15 junho 2009

Ex-presidente e novo enviado especial da ONU à ilha caribenha diz que tropas conseguiram eliminar o medo na comunidade de Cité Soleil.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, afirmou nesta segunda-feira, em Nova York, que a força de paz da ONU no Haiti está trabalhando bem no país. A declaração foi feita durante a confirmação dele como novo enviado especial da ONU para Recuperação do Haiti.

Nesta entrevista a jornalistas, Bill Clinton disse que nenhum esforço de paz é livre de controvérsia ou incidente, mas segundo ele, a Minustah está fazendo um bom trabalho. O contingente é liderado por um general brasileiro desde 2004.

Crianças

Clinton lembrou que visitou as ruas da comunidade de Cité Soleil, em março, e viu que as crianças agora caminham pelas ruas sem medo.

Na apresentação do novo enviado especial, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon afirmou que apesar da promessa de US$ 353 milhões, o equivalente a cerca de R$ 670 milhões, o maior desafio agora é fazer com o que dinheiro chegue o mais rápido possível aos haitianos.

Para ele, não existe ninguém melhor preparado que Clinton para desempenhar a função.

Tsunami

Ban disse que Clinton conhece e adora o Haiti e que os haitianos adoram Clinton. Ban afirmou que o Haiti, o governo do país e a ONU já viram o dinamismo de Clinton durante o trabalho dele como enviado especial da organização para a reconstrução após o tsunami de 2004. E afirmou que a Fundação Bill Clinton já está ajudando o Haiti com vários projetos.

Segundo Bill Clinton, o Haiti vai conseguir vencer os desafios que têm pela frente.

História

O ex-presidente americano disse que o Haiti irá conseguir se reerguer dos desastres naturais que destruíram grande parte da infraestrutura do país no ano passado. Ele afirmou que a ilha caribenha também tem a força de superar o que chamou de aspectos mais escuros da História do país durante os últimos 35 anos que ele tem visitado o Haiti.

Clinton terminou seu discurso de aceitação do cargo mencionando alguns artigos de imprensa sobre seu novo posto.

Controle

O ex-presidente dos Estados Unidos disse que viu alguns artigos da mídia haitiana especulando que seu novo posto, no qual receberá US$ 1 por ano, seria uma espécie de "conspiração imperialista" para controlar o Haiti. Clinton respondeu dizendo que tudo o que ele quer é ajudar os haitianos a assumir o controle do seu próprio destino", disse.

Ao ser perguntado pelos jornalistas se ele havia consultado o presidente Barack Obama e a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, sobre seu novo cargo, Bill Clinton respondeu que conversou com a Casa Branca e com o Departamento de Estado porque sabe que um trabalho como o que acaba de assumir precisa do apoio de todos.

Ele afirmou também que espera o apoio dos haitianos que vivem fora do país na reconstrução da ilha caribenha.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud