Ministro debate com Ban papel do português na ONU
BR

2 junho 2009

Titular da pasta dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Luís Amado, diz que a língua deve ter maior destaque em organizações internacionais.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O ministro das Relações Exteriores de Portugal, Luís Amado, encontrou-se com o Secretário-Geral da ONU nesta terça-feira para debater uma presença maior do português nas Nações Unidas.

No ano passado, o Parlamento português aprovou uma estratégia de internacionalização do idioma que prevê mais destaque para a língua na ONU e em outros organismos mundiais.

Apoio

Nesta entrevista exclusiva à Rádio ONU, Luís Amado, falou sobre a mensagem que levou a Ban Ki-moon sobre a promoção do português no mundo.

"Eu informei apenas ao Secretário-Geral. Não se trata de discutir com o Secretário-Geral estas questões. Eu informei apenas ao Secretário-Geral num desígnio estratégico, que foi assumido por todos os Estados-membros da Cplp, o ano passado aqui, à margem da Assembleia Geral. É um objetivo estratégico que foi assumido e que procuraremos perseguir, ao longo dos próximos anos, de forma a dar à língua portuguesa o estatuto que entendemos que ela deva ter. Língua de trabalho ou língua oficial. Veremos depois como se pode acomodar com a própria situação e o estatuto das línguas no seio das Nações Unidas", afirmou.

Processo

Mas para o ministro Luís Amado, o processo de promover o português precisa do apoio determinado dos oito países que falam o idioma.

"Sem uma grande participação dos países de língua portuguesa, Portugal que é um país com 10 milhões de habitantes não terá condições de impor o português com estatuto de língua de vocação universal que é. Sobretudo também pelo fato também de o Brasil ser um grande país, uma grande potência demográfica, com aproximadamente 200 milhões de pessoas que têm o português como única língua e língua oficial. Neste momento surge a oportunidade para que possamos dar à língua portuguesa o estatuto que ela tem, por força justamente da universalidade que a língua adquiriu devido à expansão globalizante que Portugal assumiu no século 15, a partir do século 15", afirmou.

O português é falado atualmente por pelo menos 235 milhões de pessoas como primeira língua em oito países que vão das Américas à Ásia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud