Hospitais em Mogadíscio tratam número recorde de feridos

29 maio 2009

Segundo a Cicv, 650 feridos de guerra foram tratados em dois hospitais apoiados pelo órgão na capital somali, nas últimas três semanas; recrudescimento da violência já matou dezenas e obrigou pelo menos 67 mil a fugirem.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha, Cicv, disse que o aumento significativo no número de feridos em dois hospitais que apoia em Mogadíscio é um dos principais indicadores da gravidade da situação na Somália.

Falando esta sexta-feira a jornalistas em Genebra, na Suiça, a porta-voz do órgão, Florian Westphal, indicou que desde o início do ano cerca de 1,5 mil feridos de guerra foram tratados nos hospitais de Medina e Keysaney.

Grupos Islâmicos

Ela revelou que desse total, 650 foram admitidos e tratados naqueles estabelecimentos de saúde desde 7 de Maio, data do reinício dos confrontos.

Desde Janeiro, o Cicv enviou cerca de 50 toneladas de equipamento médico para os dois hospitais.

O órgão está também preocupado com a situação de milhares de somalis que foram forçados a deixar a cidade nos últimos dias. Grande parte dos deslocados são mulheres e crianças.

Segundo dados da ONU, dezenas de pessoas morreram, centenas ficaram feridas e pelo menos 67 mil forçadas a fugir de Mogadíscio desde o recrudescimento dos confrontos entre forças do governo e grupos islâmicos na primeira semana deste mês.

Governo Legítimo

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou na quinta-feira os repetidos ataques contra o Governo Federal de Transição na Somália.

Num comunicado emitido pela sua porta-voz em Nova Iorque, Ban disse que a campanha de violência tem por objectivo derrubar um governo legítimo que tem vindo a conduzir um processo inclusivo de reconciliação e diálogo.

A Somália não tem um governo central e funcional desde a queda do presidente Siad Barre em 1991. As Nações Unidas estimam que cerca de 3,2 milhões de pessoas, 40% da população, necessitam de assistência humanitária.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud