ONU: fuga de civis no Paquistão é a maior já vista
BR

29 maio 2009

Organização pede recursos para ajudar cerca de 2 milhões de pessoas que tiveram que fugir de suas casas por causa da violência no Vale do Swat.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

As Nações Unidas pediram a países-doadores, nesta quinta-feira, que respondam ao apelo de US$ 543 milhões feito para o Paquistão.

A quantia, equivalente a mais de R$ 1 bilhão, servirá para socorrer civis da violência entre tropas do governo e militantes do movimento islâmico Talebã, no Vale do Swat, noroeste do país.

Casa de Parentes

Numa entrevista a jornalistas, em Nova York, o subsecretário-geral da ONU de Assistência Humanitária, John Holmes, disse que somente 21% do apelo lançado, na sexta-feira passada, foram arrecadados.

Desde o início dos combates no início deste mês, pelo menos 1,9 milhão de pessoas foram obrigadas a fugir de suas casas. No ano passado, mais 500 mil civis se tornaram deslocados internos por causa da violência.

Deste total, apenas 20% estão vivendo em acampamentos de refugiados. A maioria está se abrigando em casa de amigos, parentes e até em edifícios públicos como escolas.

Waziristão do Sul

Segundo John Holmes, a resposta ao apelo da ONU ainda não é suficiente para socorrer as vítimas do conflito no Paquistão.

Ele alertou também para o risco de um aumento no número de refugiados caso o governo paquistanês comece operações militares na província de Waziristão do Sul, uma área controlada pelo Talebã.

De acordo com o escritório da ONU, em Islamabad, capital do Paquistão, todos os deslocados foram cadastrados para receber ajuda.

Uma das preocupações da organização é com a disseminação de doenças devido à falta de água potável.

Na semana passada, agências da ONU realizaram uma campanha-relâmpago de vacinação contra sarampo e hepatite B.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud