Sector rural é crucial para recuperação em África

28 maio 2009

Presidente do Ifad disse que pobreza e fome são desumanas e não podem ser toleradas; ele falava no quadro das comemorações do Dia de África, celebrado a 25 deste mês.

Carlos Araújo, da Rádio ONU, em Nova Iorque.

O presidente do Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola, Ifad, Kanayo Nwanze, disse que a pobreza em África tem um rosto rural.

Ele falava esta quinta-feira numa cerimónia organizada pela presidência italiana, no quadro das comemorações do Dia de África, celebrado na segunda-feira.

Pequena Agricultura

Nwanze afirmou que a pobreza e a fome são desumanas e não podem ser toleradas. Ele disse que África foi afectada pelas crises financeira, alimentar e energética que ameaçam os progressos económicos e sociais alcançados nos últimos 15 anos.

O presidente do Ifad defendeu investimentos na pequena agricultura como um instrumento eficaz na luta contra a pobreza. Mais de 70% da população africana vive em áreas rurais e depende da agricultura para a sua sobrevivência.

Metas do Milénio

Numa mensagem por ocasião do Dia de África, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon disse que a crise económica está a ter efeitos muitos graves no continente. Ele afirmou que a recessão ocorre numa altura em que África conhece, desde há vários anos, um crescimento económico sustentado.

Ban disse que vai continuar a exortar os dirigentes mundiais a ajudarem os países africanos a cumprirem as metas do milénio.

O Secretário-Geral manifestou preocupação pelo ressurgimento de mudanças de governo inconstitucionais e elogiou a parceria da ONU com a União Africana em várias áreas, incluindo a consolidação da paz.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud