ONU prevê redução no fluxo de capitais directos

20 maio 2009

Relatório da Unctad indica que após um volume recorde de US$ 1,9 trilhão em 2007, o fluxo de investimentos directos sofreu um declínio de 15% em 2008; recuperação no sector só deverá começar em 2010 ou 2011.

Carlos Araújo, da Rádio ONU, em Nova Iorque.

A actual crise económica vai ter um impacto significativo no fluxo de investimentos estrangeiros directos nos países em desenvolvimento. Após um declínio de 15% em 2008, o envio de capitais para os países mais vulneráveis vai sofrer uma queda ainda mais acentuada este ano.

A afirmação consta de um relatório da Conferência da ONU para o Comércio e Desenvolvimento, Unctad, lançado esta quarta-feira em Genebra.

Níveis de Confiança

O documento "Avaliação do Impacto da Crise nos Fluxos de Investimentos" indica que dois factores são responsáveis pelo declínio de investimentos locais e internacionais: acesso mais reduzido a recursos financeiros devido a um aumento das taxas de juro e diminuição dos níveis de confiança.

O órgão revela que um volume recorde de US$ 1,9 trilhão em investimentos foi canalizado para os países em desenvolvimento em 2007.

O relatório diz que a globalização da economia deverá causar uma recuperação no sector, em finais de 2010 ou em 2011.

Matérias-Primas

O economista da Divisão África da Unctad, Rolf Traeger, disse à Rádio ONU, de Genebra, que a queda no fluxo de investimentos directos é mais um sinal de que a crise será longa.

"A recuperação da crise vai ser um processo longo apesar de alguns sinais positivos como a subida do preços das acções e matérias-primas. A crise vai ter consequências e impacto muito fortes especialmente para os países mais fracos e mais pobres. Esses efeitos vão durar ainda vários anos" afirmou.

Segundo o relatório, vários factores podem acelerar a recuperação da economia mundial. O órgão recomenda o fim de políticas proteccionistas, a criação de um ambiente aberto para negócios e a realização de reformas estruturais no sistema financeiro global.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud