ONU pede proteção das exportações dos países pobres (Português para o Brasil)

12 maio 2009

Segundo Unctad, o volume de vendas para o exterior nos países em desenvolvimento deve cair entre 7% a 9% este ano; chefe do órgão disse que ainda não se sabe o tamanho do impacto da crise global nesta parte do mundo.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York *.

Os países em desenvolvimento só vão se recuperar da atual crise econômica se os progressos alcançados nas últimas décadas forem protegidos.

A afirmação foi feita nesta terça-feira durante um encontro da Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, em Genebra, na Suíça.

Exportações

O presidente da agência, Supachai Panitchpaki, disse na abertura da reunião que ainda não se sabe o tamanho do impacto da crise financeira nos países em desenvolvimento.

Segundo a Unctad, as exportações nessas economias vão cair entre 7% a 9% este ano, e os países considerados ainda menos avançados terão uma queda de 9% a 16%.

Ele afirmou que as economias menos avançadas enfrentam várias dificuldades, incluindo uma redução na procura das suas exportações, queda dos preços das matérias primas, diminuição das remessas dos seus migrantes e fluxo de investimentos diretos.

Globalização

O chefe da Unctad disse ainda que o comércio foi fundamental para os progressos econômicos dos países da África, da Ásia e da América Latina.

O grau de dependência das economias de desenvolvimento médio em relação aos mercados externos duplicou de 26% em 1995 para 51% em 2007. Para os países menos avançados, a proporção foi de 17% para 45% no mesmo período.

Panitchpaki disse que a globalização da economia é um sinal de que a crise está se alastrando para os países pobres.

Ele pediu às nações industrializadas que priorizem os mercados globais de exportação nos seus programas de estímulo fiscal.

Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud