FMI diz que economia da Côte d’Ivoire está a recuperar

7 maio 2009

Uma pesquisa do órgão indica que país está a resistir de forma extraordinária à recessão global; durante 30 anos a Côte d’Ivoire foi vista como um exemplo na África Subsaariana.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Após vários anos de conflito civil e má gestão, as condições estão criadas para uma recuperação da economia da Côte d"Ivoire.

A declaração faz parte de uma pesquisa do Fundo Monetário Internacional, FMI, divulgada esta quarta-feira, em Washington.

Potencial

O documento indica que a economia marfinhense tem resistido de forma extraordinária à recessão global, mas que ainda existem alguns riscos.

O órgão afirma que os preços do cacau, o principal produto de exportação do país, poderão continuar a cair causando uma dimunuição nas receitas do governo. A crise global poderá também adiar o fluxo de investimentos estrangeiros directos.

O FMI diz, contudo, que esses riscos poderão ser compensados pelo facto da economia continuar a operar abaixo do seu potencial.

Em Março deste ano, o órgão aprovou um empréstimo de US$ 566 milhões no âmbito do seu Programa de Redução da Pobreza para apoiar as autoridades a sustentarem o crescimento económico.

Matérias Primas

Durante cerca de três décadas, após a sua independência, a Côte d'Ivoire esteve quase a emergir como a primeira nação da África Subsaariana a alcançar o estatuto de país desenvolvido.

Mas uma queda nos preços das matérias primas, nos anos 80, a desvalorização da moeda nacional, o franco CFA nos anos 90 e finalmente, o golpe de estado de 1999 e o início da guerra civil em 2002, mergulharam a Côte d'Ivoire numa profunda crise política e económica.

Com a ajuda da ONU, a situação política e de segurança tem vindo a estabilizar-se e segundo o FMI, o país está agora preparado para iniciar uma recuperação da sua economia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud