Situação dos direitos humanos no Iraque preocupa
BR

29 abril 2009

Em relatório, lançado nesta quarta-feira, organização sugere reforma do sistema carcerário, introdução de investigações baseadas em provas em vez de confissões e o fim dos chamados crimes contra honra.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Missão de Assistência das Nações Unidas no Iraque, Unami, informou que a situação dos direitos humanos no país permanece um motivo de preocupação.

A afirmação faz parte do 14º relatório da missão sobre o tema, publicado nesta quarta-feira, em Bagdá.

Confissões

O documento indica que houve melhorias na questão da segurança, mas o país ainda precisa fazer reformas no sistema carcerário além de introduzir um padrão de investigações baseadas em provas em vez de confissões.

O relatório também condena atentados suicidas e casos de violência de gênero.

De acordo com a Unami, muitos dos chamados "crimes contra honra" praticados contra mulheres acabam sendo registrados como suicídios.

Já na Região do Curdistão, no norte do Iraque, a mutilação genital feminina é uma prática tolerada.

Mulheres

A alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, afirmou que a situação das mulheres no Iraque é extremamente difícil e pediu que as autoridades do país priorizem leis de proteção às mulheres.

O chefe da Missão da ONU no país, Staffan de Mistura, elogiou o governo iraquiano pela adoção da Convenção contra Tortura e a inclusão de minorias em leis eleitorais.

Para Mistura, o Iraque tem a oportunidade agora de reforçar seu sistema judiciário e avançar na defesa dos direitos humanos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud