Pirataria é sintoma de anarquia na Somália, diz Ban (Português para África)

23 abril 2009

Segundo agências de notícias, doadores prometeram mais de US$ 350 milhões para reforçar as instituições de segurança no país; reunião de Bruxelas foi convocada por Ban Ki-moon.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse esta quinta-feira que o novo governo da Somália precisa de ajuda para combater a pirataria e acabar com a anarquia que transformou aquele país do Corno de África numa ameaça global.

Ban falava em Bruxelas, na Bélgica, na abertura de uma conferência internacional de apoio às instituições somalis de segurança e à missão da União Africana no país, Amisom.

Encruzilhada

Segundo agências de notícias, durante a reunião os países doadores prometeram mais de US$ 350 milhões, um montante que excede o total de US$ 260 milhões solicitado pelas Nações Unidas.

O Secretário-Geral afirmou que a Somália encontra-se numa encruzilhada. Segundo Ban, a pirataria ao largo da sua costa é um sintoma da anarquia e insegurança que reinam no país.

Ban Ki-moon disse que apesar da importância da ajuda internacional, a chave para uma solução durável para a segurança no país é o povo somali.

Pirataria

Ele afirmou que a Somália necessita de apoio em quatro áreas cruciais: a expansão da autoridade do novo governo a todo o país, a reconstrução das instituições do estado, assistência humanitária e recuperação económica.

A Somália não tem um governo central e funcional desde a queda do presidente Siad Barre em 1991. As Nações Unidas estimam que cerca de 3,2 milhões de pessoas, 40% da população, necessitam de assistência humanitária.

A falta da lei e da ordem tem impedido as autoridades do país de combater actos de pirataria ao largo da sua costa. No ano passado foram registados pelo menos 111 ataques piratas contra navios na região.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud