ONU diz que falta de acesso a Gaza é frustrante

20 abril 2009

Lynn Pascoe disse ao Conselho de Segurança terem-se registado poucos progressos nas áreas de cessar-fogo, abertura de passagens e reconciliação entre Palestinianos.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Sub-Secretário-Geral da ONU para Assuntos Políticos, Lynn Pascoe, disse esta segunda-feira ao Conselho de Segurança que se registaram poucos progressos na implementação de alguns elementos-chave da resolução 1860 sobre Gaza.

Estes incluem um cessar-fogo sustentável e durável, a abertura de passagens para o território e a reconciliação entre Palestinianos.

Dois Estados

Pascoe disse a uma sessão do órgão dedicado à questão do Médio-Oriente que esses princípios são indispensáveis para o apoio da comunidade internacional ao recomeço do processo de paz.

Ele indicou que muitos parceiros internacionais estavam prestes a aumentar os seus esforços diplomáticos para se alcançar uma solução de dois estados, após a decisão da nova administração americana de defender a criação de um Estado Palestiniano.

Lynn Pascoe relembrou ainda a recente adopção pela Liga dos Países Árabes, na sua cimeira de 30 de Março, da Iniciativa Árabe de Paz, que também defende um Estado palestiniano ao lado de Israel.

Reconciliação

O Sub-Secretário-Geral acolheu a decisão do governo israelita de permitir, sem qualquer restrição, a entrada de ajuda alimentar no território. Ele sublinhou, contudo, que a ajuda ao povo de Gaza não se pode limitar a comida, medicamentos e cobertores.

Pascoe descreveu como "profundamente frustrante" o problema generalizado de falta de acesso a Gaza.

Ele disse que a falta de progressos na reconciliação entre a Autoridade Palestiniana e o Hamas está a atrasar os esforços de reconstrução de Gaza, apesar dos US$ 4,5 milhões prometidos na conferência de doadores de Sharm el-Sheikh, o mês passado.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud