Enviado da ONU diz que ataque na Somália é provocação

9 abril 2009

Numa semana, seis navios forma alvo dos piratas da costa da Somália que se aventuram cada vez mais longe para os ataques; representante da ONU pede resposta com actos contra o que diz ser uma provocação.

João Rosário, para a Rádio ONU em Nova Iorque.

O Representante Especial da ONU para a Somália, Ahmedou Ould-Abdallah, condenou o mais recente acto de pirataria ocorrido na costa somali.

Ould-Abdallah disse que, "só esta semana, o sequestro de seis navios, um por dia, é um novo recorde estabelecido pelos piratas da Somália".

O Representante Especial acrescentou que "estas actividades, realizadas a 900 km da costa consistem em provocações renovadas feitas à comunidade internacional".

Resposta clara

Ould-Abdallah considera que a resposta deve ser "uma clara e firme condenação por palavras e por acções" contra a pirataria, que considerou ser uma doença. Disse ainda que a este tipo de actos criminosos não podem ser seguidas da mesma impunidade do passado.

Ould-Abdallah pediu a ajuda da comunidade internacional para as novas autoridades do país, de forma a focarem a atenção nas razões profundas da pirataria, e pediu também auxílio para que se possam libertar os reféns que estão nas mãos dos piratas.

As Nações Unidas, em colaboração com a União Africana, a Liga dos Países Árabes, a Organização da Conferência Islâmica e a União Europeia reúnem-se no dia 23 de Abril num encontro para apoiar as autoridades somalis e analisar a situação da segurança no país. Ould-Abdallah disse que tem expectativas no sucesso deste encontro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud