Autismo afecta 35 milhões de pessoas

2 abril 2009

Numa mensagem para marcar o Dia Mundial de Consciencialização do Autismo, Ban Ki-moon diz que as pessoas têm direito à vida plena e produtiva.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque*

O Secretário-Geral das Nações Unidas disse que o mundo precisa promover mais informação e uma compreensão positiva sobre o autismo.

Segundo especialistas, a doença afecta a maneira como os indivíduos se comunicam e interagem, e atinge cerca de 35 milhões de pessoas em todo o mundo.

Informação

Numa mensagem para marcar o Dia Mundial de Consciencialização sobre Autismo, neste 2 de Abril, Ban Ki-moon disse que ao proclamar a data, no ano passado, a Assembleia Geral da ONU ajudou a galvanizar esforços internacionais para promover mais informação.

A médica da Organização Pan-Americana da Saúde, Maristela Monteiro, disse à Rádio ONU que uma criança com autismo pode viver em condições normais como qualquer outra.

Nesta entrevista, de Washington, ela contou como é sua rotina com o filho Leonardo, de seis anos, que foi diagnosticado com autismo aos 2 anos e meio de idade.

Cansativo

"Dá muito mais trabalho porque cada comportamento que você quer ensinar tem que ser feito passo a passo, tem que ser dentro da maneira como ele pode entender. É um trabalho bastante cansativo. Ele é bastante activo. E ao mesmo tempo você tem que tratá-lo o mais normalmente possível. Não pode proteger demais e nem tratar especialmente, justamente porque ele tem uma irmã que não tem problemas e não pode se sentir recebendo menos atenção porque ela não tem um problema", disse.

Segundo a organização Autismo Fala, nos Estados Unidos, a cada 20 minutos uma criança é diagnosticada com a doença.

A data foi instituída pela Assembleia Geral a pedido da Missão do Catar nas Nações Unidas.

*Apresentação: Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud