Ex-líder do Khmer Vermelho em 1ª. audiência do julgamento
BR

30 março 2009

Kaing Guek Eav, conhecido como Duch, ouviu a apresentação da promotoria que o acusa de crimes contra a humanidade quando ele chefiava uma prisão na capital do Camboja.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

Promotores de um tribunal, apoiado pela ONU, para julgar crimes cometidos pelo regime Khmer Vermelho no Camboja, apresentaram formalmente, nesta segunda-feira, uma lista de acusações contra um dos ex-líderes do movimento.

Kaing Guek Eav, também conhecido como Duch, é acusado de crimes contra a humanidade quando chefiava a prisão S21 em Phnom Pehn, capital do país.

Perdão

Pelo menos 2 milhões de pessoas morreram durante o regime do Khmer Vermelho, que governou o Camboja, no sudeste asiático, de 1975 a 1979.

Duch é acusado por participação na morte de mais de 10 mil pessoas.

Ele enfrenta ainda alegações de tortura e assassinatos premeditados.

Duch é o primeiro líder do movimento a encarar o tribunal.

O ex-chefe da prisão, de 66 anos, pediu perdão às vítimas e disse que assumia a responsabilidade de seus atos.

Ele foi preso em 1999 e disse que iria cooperar com a investigação.

Nesta segunda-feira, Duch apenas confirmou sua identidade aos juízes antes de ouvir os promotores.

*Apresentação: Eduardo Costa, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud