Novos ataques de grupos rebeldes na RD Congo (Português para África)

27 março 2009

Segundo o Acnur, mais de 20 mil pessoas tiveram de fugir de suas casas no distrito de Rutshuru, no Kivu Norte, nas últimas semanas; os deslocados procuraram refúgio na floresta após as suas aldeias terem sido saqueadas e queimadas.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Alto Comissariado para Refugiados, Acnur, está seriamente preocupado com a situação de milhares de civis que fugiram de suas casas para escapar a ataques diários de grupos armados que operam no leste e nordeste da República Democrática do Congo.

Falando esta sexta-feira em Genebra, o porta-voz da agência da ONU, Ron Redmond, disse que elementos fortemente armados de duas milícias, a Pareco e a Fdlr, cercaram a aldeia de Pinga, na província de Kivu Norte, causando o pânico entre os 8,5 mil habitantes da localidade. Cerca de 2 mil deslocados internos encontravam-se também na aldeia.

O Congresso Nacional de Defesa do Povo, Pareco e as Forças Democráticas de Libertação do Ruanda, Fdlr, de maioria hutu, são dois entre vários grupos rebeldes que tem vindo a aterrorizar aquela região congolesa.

Incendiadas

Segundo o Acnur, esses grupos armados obrigaram 20 mil pessoas a fugir das suas aldeias no distrito de Rutshuru, Kivu Norte, nas últimas semanas.

Os deslocados procuraram refúgio na floresta após as suas casas terem sido saqueadas e incendiadas.

No extremo norte da região de Alto Uele, na província Oriental, perto da fronteira com o Uganda, uma coluna do Acnur com mais de 22 toneladas de assistência alimentar foi forçada voltar para trás na sequência de notícias de novos ataques do Exército de Resistência do Senhor, LRA, um grupo rebelde ugandês.

A situação humanitária no Kivu Norte é descrita pela ONU como dramática, com cerca de 850 mil deslocados internos. Desse total, 250 mil foram forçados a fugir das suas casas desde Agosto último.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud