Unesco condena morte de jornalista no Afeganistão

25 março 2009

Jawed Ahmad foi assassinado na cidade de Kandahar, no sul do país; ele era correspondente de vários órgãos de informação no Canadá, incluindo a CTV News.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O director-geral da Organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, Koïchiro Matsuura, condenou o assassinato de um jornalista no Afeganistão.

Jawed Ahmad, também conhecido por Jojo Yazemi, foi morto a tiro no dia 10 de Março, no centro da cidade de Kandahar, por dois homens não identificados.

Ele trabalhava para vários órgãos de informação no Canadá, incluindo a CTV News.

Matsuura descreveu o assassinato de Ahmad como um duro golpe para a liberdade de expressão. Ele afirmou que a morte prematura do dedicado jornalista tinha privado a sociedade afegã de um corajoso defensor do debate democrático.

Talebã

Segundo a ONG, Repórteres Sem Fronteiras, vários jornalistas afegãos disseram suspeitar que a sua morte tivesse sido ordenada pelo movimento Talebã.

Jawed Ahmad foi detido pelo exército americano em Novembro de 2007 por alegadamente ter contactado o Talebã. Ele foi libertado 11 meses depois.

O Repórteres Sem Fronteiras disse que o jornalista tinha defendido o seu direito de contactar aquele movimento, afirmando tratar-se de uma necessidade para o seu trabalho de repórter no sul do Afeganistão.

A Unesco é o único órgão das Nações Unidas com um mandato para defender a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa no mundo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud