ONU relembra vítimas da escravatura

25 março 2009

Numa mensagem sobre a data, Secretário-Geral Ban Ki-moon diz que apesar da abolição da escravidão, o racismo continua; ele descreveu a eleição de Barack Obama como um marco para muitos.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque*.

A ONU comemora neste 24 de Março o Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão e do Comércio Transatlântico de Escravos.

Numa mensagem sobre a data, o Secretário-Geral, Ban Ki-moon, disse que a eleição de "um filho da África" para a presidência dos Estados Unidos, representou, para muitos, um marco numa jornada que começou há mais de 400 anos.

Racismo

Mas segundo Ban, apesar da abolição da escravidão, o racismo "continua a poluir o mundo".

Os eventos de comemoração começaram nesta terça-feira com a exibição de filmes sobre o tema incluindo o documentário brasileiro "Atlântico Negro: Na Rota dos Orixás", do cineasta Renato Barbieri.

Nesta entrevista à Rádio ONU, Barbieri disse que a autoestima baixa é causada, muitas vezes, pela falta de informação.

Afrodescendentes

"O Brasil foi um dos últimos países, como se sabe, a abolir a escravidão. Os 350 anos de escravidão no Brasil geraram uma onda que ainda se mantém muito forte. Acho que este desvalor está vinculado à escravidão. É importante termos esta perspectiva histórica. No caso de afrodescendentes que têm a autoestima baixa, acho que é porque falta o conhecimento histórico. Quando você tem o conhecimento histórico. Você sabe que vem de algum lugar", explicou.

Para o embaixador de Cabo Verde no Brasil e historiador, Daniel Pereira, o Dia em Memória das Vítimas da Escravidão serve para evitar novos erros no futuro.

Consciência

"Nós não podemos esquecer. A memória é importante para nos alertar para os erros do passado. Porque se não formos capazes de ter a consciência dos erros do passado, que não podem ser mudados, continuaremos a cometê-los no futuro", concluiu.

Além da exibição de filmes, spots e exposições fotográficas sobre o tema, a ONU está a realizar na Assembléia Geral um evento com tambores de várias partes da África que irão ser tocados ao mesmo tempo.

O dia será encerrado com um concerto internacional.

O cantor brasileiro Gilberto Gil deve participar do evento.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud