Liberdade Religiosa em Angola

13 março 2009

Embaixador angolano refuta observações da relatora especial da ONU sobre leis nacionais que discriminam minorias religiosas no país; relatório foi apresentado esta quinta-feira ao Conselho de Direitos Humanos.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A relatora especial da ONU para a liberdade religiosa, Asma Jahangir, disse esta quinta-feira que tinha manifestado a Angola a sua preocupação sobre leis nacionais que discriminavam contra minorias religiosas.

Numa declaração ao Conselho de Direitos Humanos em Genebra, ela afirmou que durante a sua recente visita ao país ficou consternada com o tratamento de crianças acusadas pelas suas famílias de praticarem feitiçaria.

Asma Jahangir disse que essas crianças eram levadas para curandeiros tradicionais e detidas por longos períodos de tempo. A relatora da ONU lamentou ainda o facto de Angola estar afectada pela tendência actual de associar o islamismo ao terrorismo internacional.

Numa entrevista à Rádio ONU, a partir de Genebra, o embaixador angolano, Arcanjo Nascimento, respondeu às observações da relatora das Nações Unidas, afirmando que a constituição do seu país não permitia qualquer tipo de discriminação.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud