ONU condena atentados em Abu Ghraib, no Iraque

10 março 2009

Enviado da ONU disse que os ataques visaram líderes xiitas e sunitas que tinham terminado um encontro de reconciliação.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Representante Especial de Ban Ki-moon no Iraque, Staffan de Mistura, condenou energicamente os atentados à bomba na área de Abu Ghraib, na capital Bagdá, nesta terça-feira, que mataram dezenas de civis inocentes.

Os ataques feriram também muitas pessoas, incluindo líderes tribais, jornalistas e outros dignitários civis e militares.

De Mistura descreveu os atentados como um crime horrível que tinha por objectivo desestabilizar os esforços de reconciliação do povo iraquiano. Ele disse estar convencido que os dirigentes do país iriam prosseguir a via do diálogo.

Os ataques visaram líderes tribais sunitas e xiitas que tinham concluído um encontro de reconciliação.

Pêsames

O enviado do Secretário-Geral deu os pêsames às famílias enlutadas e desejou uma rápida recuperação às pessoas feridas.

Segundo agências de notícias, os níveis de violência diminuiram recentemente no Iraque, mas o atentado em Abu Ghraib foi o terceiro em poucos dias.

Dezenas de pessoas foram mortas pela explosão de um carro armadilhado na província de Babel, na quinta-feira e por um ataque contra um centro de recrutamento de polícias, na capital, no domingo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud