Crise alimentar debatida na Assembleia-Geral (Português para África)

5 março 2009

A maior parte dos participantes são alunos da Escola Internacional das Nações Unidas; o evento foi aberto pelo Secretário-Geral, Ban Ki-moon.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque*.

Cerca de 800 estudantes estão reunidos na Assembleia Geral da ONU para debater os efeitos da crise alimentar mundial.

Os participantes no evento, que dura até esta sexta-feira, são alunos da Escola Internacional das Nações Unidas, Unis, e representam seis continentes.

Fome

De acordo com o Programa Alimentar Mundial, PAM, pelo menos 923 milhões de pessoas estão passando fome no mundo.

Um número inaceitável, como afirmou o Secretário-Geral da ONU, no discurso de abertura do evento, nesta quinta-feira.

Ban Ki-moon lembrou que a comida não é somente uma mercadoria e que a agricultura não se resume a um negócio. Ambas são fundamentais à sobrevivência. Segundo ele, o conceito de que toda pessoa tem direito à alimentação é um imperativo de ordem humanitária.

Pobreza

A ONG Oxfam Internacional afirma que as crises alimentar e financeira lançaram mais 119 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza.

Os jovens e adolescentes que participam no encontro na Assembléia Geral vão apresentar ainda um filme sobre as causas e efeitos da crise alimentar mundial.

*Apresentação: Carlos Araujo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud