Ban visita vítimas na RD Congo

2 março 2009

Segundo o Unicef, a violação sexual tem sido usada como arma de guerra no país; cerca de 200 mil mulheres e meninas foram atacadas nos últimos 12 anos.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Em visita à República Democrática do Congo, este fim de semana, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, reuniu-se com um grupo de mulheres e raparigas vítimas de violência sexual.

Segundo as Nações Unidas, o país africano tem um dos mais altos índices de violação e outros crimes sexuais contra mulheres. Nos últimos 12 anos, pelo menos 200 mil mulheres e raparigas foram atacadas. A área mais afectada é o leste do país, principalmente, a região de Kivu.

Arma de Guerra

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, informou que a violação sexual tem sido usada como arma de guerra na RD Congo.

Acompanhado da mulher Yoo Soon-taek, o Secretário-Geral visitou o hospital Heal Africa, na cidade de Goma, capital de Kivu Norte.

O local abriga mulheres, vítimas de violência sexual e crianças com deficiências.

Violência Extrema

Confrontos entre tropas do governo e o maior grupo rebelde tutsi, o Congresso Nacional em Defesa do Povo, Cndp, reiniciaram há seis meses na região de Kivu, forçando cerca de 250 mil pessoas a fugir de suas casas.

Durante a viagem à RD Congo, Ban visitou o acampamento de refugiados de Kibati, cerca de 6km a norte de Goma. O local abriga, actualmente, cerca de 20 mil pessoas, muitas delas vítimas de violência extrema.

A viagem de uma semana de Ban Ki-moon à África termina nesta segunda-feira, no Egipto, com uma conferência internacional sobre Gaza.

*Apresentação: Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud