ONU debate direitos de pessoas com deficiência

27 fevereiro 2009

Cerca de 80% das pessoas com deficiência vive nos países em desenvolvimento; Angola foi um dos países mais afectados pelas minas anti-pessoais.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Comitê sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência terminou, esta sexta-feira, uma reunião de uma semana, em Genebra, na Suíça.

O encontro teve por objectivo debater medidas para reforçar e garantir a proteção dos direitos das pessoas com deficiência em todo o mundo.

Durante a cerimónia de abertura, o vice alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Kyung-wha Kang, disse que mais de 500 milhões de pessoas, cerca de 10% da população mundial, vivem com deficiência.

Angola é um dos países do mundo com maior número de pessoas que vivem com deficiência, particularmente vítimas de minas anti-pessoais e terrestres.

Silva Lopes Etiambulo, presidente da Associação de Deficientes de Angola, disse à Rádio ONU, de Luanda, que a falta de emprego constituia um dos principais desafios das pessoas com deficiência no país.

Convenção

"Angola é um país que travou uma guerra durante 40 anos e produziu um número muito elevado de deficientes. Não só deficientes ex-militares, mas também deficientes civis que pisaram as minas. Esse número é enorme em várias províncias principalmente no sul, centro e leste de Angola. Como o país estagnou durante todo esse tempo, não existem empresas que conseguem absorver no mercdo de trabalho esse número tão elevado de pessoas com deficiência", afirmou.

A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiências foi adoptada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 13 de Dezembro de 2006 e entrou em vigor em Maio de 2008.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud