ONU pede mais ajuda para o Zimbabué

27 fevereiro 2009

Equipa humanitária das Nações Unidas, que acaba de visitar o país, falou de grandes desafios na luta contra o surto de cólera e a crise alimentar.

Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Uma missão das Nações Unidas revelou que a crise humanitária no Zimbabué permanece grave, tendo apelado ao governo e à comunidade internacional para apoiarem os esforços de assistência.

A equipa, que era liderada pela vice coordenadora humanitária da ONU, Catherine Bragg, visitou o país de 21 a 25 deste mês para avaliar as respostas à crise alimentar e ao surto de cólera.

Num comunicado emitido no final da visita, Bragg referiu-se à continuação de enormes desafios apesar do que que chamou de esforços tremendos do governo e da comunidade humanitária para conter a epidemia de cólera.

A missão da ONU notou a generosidade da comunidade internacional para com o povo do Zimbabué, mas sublinhou a necessidade de mais recursos nos próximos meses.

Segurança Alimentar

Fundos adicionais serão também cruciais para melhorar a segurança alimentar, revelou a equipa que incluia representantes da Organização Mundial da Saúde, OMS, do Fundo da ONU para a Infância, Unicef e do Programa Alimentar Mundial, PAM.

A missão das Nações Unidas reuniu-se com o presidente Robert Mugabe e com o primeiro ministro, Morgan Tsvangirai, além de outros altos dirigentes do país.

O Zimbabué enfrenta uma grave crise alimentar, uma inflação galopante e surto de cólera que já matou mais de 3.800 pessoas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud